Pages

Subscribe:

18 dezembro 2009

Fique por dentro sobre a Meningite






Pra quem não sabe o que é Meningite, aqui vai um “post” informativo sobre essa doença.


A Meningite é um processo inflamatório das meninges, que são as membranas que revestem o sistema nervoso central: o cérebro (situado dentro da caixa craniana) e a medula espinhal (dentro da coluna vertebral). São em número de três: a mais interna, aderente ao sistema nervoso central acompanhando suas circunvoluções, é a pia-mater; a intermediária, a aracnóide; e a externa, sendo esta a mais espessa e resistente, a dura-mater. Essas membranas servem de sustentação e proteção ao sistema nervoso central, o mais nobre do organismo por exercer funções vitais. Entre a pia e a aracnóide existe um espaço chamado subaracnoideo, que contém o líquor ou líquido céfalo-raquidiano. A função deste líquido é servir de “amortecedor” contra choques e também eliminar metabólitos do sistema nervoso central. Quando ocorre a Meningite, além das membranas, o espaço e o líquor também são acometidos. Normalmente, o líquor é estéril e sofre alterações de sua composição quando infectado, fator importante no diagnóstico laboratorial das Meningites. Continua...








SINAIS E SINTOMAS PRINCIPAIS


Febre alta, cefaléia (forte dor de cabeça), vômitos, rigidez de nuca (dificuldade de movimentar a cabeça), dor no corpo, cansaço (desânimo), fotofobia (desconforto na presença de luz), e em alguns casos pode ocorrer petéquias ou sufusões hemorrágicas (manchas avermelhadas na pele), convulsões e prostração. Nos lactentes e recém-nascidos os sinais e sintomas são atípicos, estando ausente, geralmente, a rigidez de nuca. Suspeitar se a criança apresentar hipo ou hipertermia, sonolência ou irritabilidade, choro intenso, recusa alimentar, vômitos, palidez, abaulamento da fontanela (moleira).


ATENÇÃO: Todo indivíduo que apresentar os sinais e sintomas de Meningite devem procurar imediatamente o serviço de saúde mais próximo. Frente à suspeita clínica, o médico deve realizar a punção lombar e coleta do líquor para exames laboratoriais.


É muito importante tomarmos medidas de prevenção, certo?? Aqui vai:


São medidas gerais de prevenção de doenças infecciosas: higiene geral, boa alimentação, ventilação e insolação dos ambientes, dormitórios adequados, saneamento básico ideal, evitar ambientes com aglomeração de pessoas, principalmente no inverno; tratamento das infecções bacterianas em geral e principalmente do trato respiratório superior e inferior, otorrinolaringológicas e também as osteomielites, pois por via hematogênica ou por continuidade as bactérias podem chegar ao espaço sub-aracnoideo e causar uma meningite oriunda de outros sítios do organismo. Quanto à prevenção das Meningites Virais, é importante a higiene geral do ambiente, dos utensílios domésticos e escolares, do vestuário, corporal, dos alimentos, etc, pois na maior parte dos casos os agentes implicados são os enterovírus e a transmissão além de respiratória é fecal/oral. Portanto, o ato de lavar as mãos é muito eficaz na prevenção.


Também são conhecidas as formas de prevenção:




Primária – através de vacinas. Todas as vacinas disponíveis na rede pública e nas clínicas particulares protegem contra as meningites por aqueles agentes, tanto bacterianos quanto virais. Ex: a vacina BCG protege contra Meningite Tuberculosa.
Secundária – através da quimioprofilaxia: prescrição de antibiótico aos contatos íntimos de casos de Doença Meningocócica e Meningite por Haemophilus influenzae, com o objetivo de eliminar essas bactérias das secreções oronasofaríngeas dos portadores sadios e doentes. Essas duas bactérias têm o potencial de causar surtos ou epidemias.
Terciária – através do diagnóstico e tratamento precoce evita-se complicações, seqüelas e casos secundários (após 24 a 48 horas com a instituição do tratamento eficaz o caso índice não transmite mais a doença). Observação: Pra mim gente, a terciária é importantíssima, naquela época que adquiri não tive o diagnóstico precoce, então adquiri a sequela muito rápido, pois a incubação dessa doença é muito rápida (leva de 3 no mínimo e 10 no máximo dias de incubação). Certo? Todo cuidado é importante.




Eu fui infectada pela Meningite chamada de Meningoencefalite menigocócica, o agente etiológico dela é denominado de Neisseria meningitidis, abaixo mais informações sobre ela:


Particularidades da Doença


· Apresenta sazonalidade, sendo mais freqüente no inverno, podendo aparecer casos esporádicos o ano todo, pois é endêmica;
· A Doença Meningocócica é considerada a infecção bacteriana mais freqüente do sistema nervoso central;
· A incidência é inversamente proporcional à idade e à condição sócioeconômica;
· Afeta principalmente crianças abaixo de 5 anos de idade e adultos jovens;
· Aglomerações intra-domiciliares facilitam a transmissão;
· O meningococo se caracteriza por apresentar um potencial epidêmico.
Costuma causar surtos e/ou epidemias de tempos em tempos, em períodos irregulares;
· A doença costuma se instalar rapidamente e pode ocorrer casos fulminantes. Por isso, ela costuma causar pânico ou medo na população.


Reservatório – homem doente ou portador.


Modo de Transmissão – através do contato direto com gotículas e secreções nasofaríngeas. A lágrima e as petéquias/sufusões hemorrágicas também contêm a Neisseria meningitidis.


Período de Incubação2 a 10 dias (geralmente 3 a 4).


Período de Transmissibilidade – enquanto os meningococos permanecerem nas secreções orofaríngeas do portador são (pode até por 10 meses), ou no caso índice até 24 a 48 horas após o início do tratamento específico.


Estado de Portador – o portador sadio está saudável, mas pode transmitir a doença a pessoas suscetíveis que estão ao seu redor, podendo ser abolido pela quimioprofilaxia. Até 20% da população, conforme a região pode ser portador são do meningococo.


Suscetibilidade e Imunidade – a suscetibilidade é geral, porém baixa, sendo as crianças as mais acometidas pela doença; a imunidade conferida pela doença é específica para cada sorogrupo.


Distribuição Geográfica da Doença – É universal. A incidência da doença assim como o sorogrupo dominante varia conforme o país em análise. O Cinturão Africano das Meningites é uma região hiperendêmica da doença, e se situa da Mauritânia à Etiópia, onde há prevalência do sorogrupo A. Casos esporádicos podem ocorrer durante o ano inteiro, sendo mais freqüente nos meses mais frios, tanto em zona urbana quanto rural.


Espero que essa informação seja útil, é importante estarmos dentro disso, para evitar futuras seqüelas em novas vítimas, porque não desejo a ninguém o que eu passei, não desejo a ninguém ficar surdo, eu fiquei porque tinha que ficar, mas não quero que nem os meus filhos passem por isso, não foi fácil para minha família por isso tivemos que lutar o máximo que pudermos para chegarmos onde estamos. Previnam-se, informem-se!


Se algum parente de vocês está passando por essa doença, porque ela é gravíssima, seja forte e lute e cobre dos médicos para fazerem o possível porque tudo é possível. Obrigada!




Todas as informações acima foram adquiridas num trabalho informativo feito pelo Estado de Santa Catarina junto com a Secretaria de Estado da Saúde com a atuação da Superintendência De Vigilância em Saúde e Diretoria de Vigilância Epidemiológica no ano de 2007.

2 Comente!:

arnoldo disse...

oi gabí!
gostei muito do seu blog e ja sou um seguidor.

parabéns.
bjo.

Gabriela VA. disse...

Muito obrigada por ser meu seguidor beijosss

Postar um comentário

Quero Comentários!